Notícias

A Escola de Direito de Brasília (EDB/IDP) publica nesta segunda-feira (12) o gabarito oficial da prova do vestibular tradicional do curso de graduação em Direito para o segundo semestre de 2017.

Clique no documento abaixo para ter acesso ao gabarito:

pdf GABARITO OFICIAL VESTIBULAR 2º 2017 (49 KB)

 

A Escola de Direito de Brasília (EDB/IDP) publica, nesta quinta-feira (08), as provas e respectivos gabaritos do VII Simulado do IDP, realizado pelos alunos das turmas do 5º ao 10º semestres do curso de Direito. O exame tem a finalidade de aferir o grau de aprendizado do corpo discente acerca do conteúdo ministrado no curso, constituindo índice de avaliação de desempenho do corpo discente e do curso.

O recurso contra qualquer resposta constante no gabarito deverá ser interposto por meio de e-mail (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.) até o dia 11 de junho de 2017, às 23h59.Clique abaixo para acessar os documentos:

O III Seminário de Iniciação Científica da Escola de Administração de Brasília (EAB/IDP), que acontece nesta semana no Instituto Brasiliense de Direito Público, apresentou ao corpo discente da faculdade novas atividades que passam a integrar as iniciativas da escola a partir deste semestre, como o Laboratório de Práticas, Estudos e Pesquisas em Gestão e Inovação do Setor Público (LAB-GISP), o Jornal de Pesquisas da EAB/IDP e Grupo de Estudos em Gestão de Pessoas no Setor Público (GEPESPE).

O professor Leonardo Oliveira, coordenador do Lab-GISP, explicou que a principal proposta do laboratório é investigar aspectos das iniciativas de inovação tecnológica na governança pública. Para atingir tal objetivo, os estudantes serão incentivados a estudar paradigmas concorrentes, como as mudanças de concepções ideológicas de governança e gestão pública.

A ideia do laboratório é estudar as práticas de governos ao redor do mundo acerca da utilização da tecnologia para melhoria do ambiente público. Além disso, “busca-se fomentar a análise científica do campo, abordar problemas teóricos e práticos, bem como suas possíveis soluções e desenvolver o espirito critico nos alunos”, como explica o professor Leonardo Oliveira.

Gestão de Pessoas

Além do Lab-GISP, os estudantes da EAB/IDP poderão participar também do GEPESPE, voltado para a realização de estudos que culminem em melhor entendimento da gestão de pessoas, seus modelos, processos e práticas no setor público brasileiro: “Nosso principal objetivo é entender como a administração pública tem conduzido a gestão de pessoas e como isso afeta as esferas do Governo Federal”, disse Felipe Cortês, coordenador do GEPESPE.

O grupo também realizará exposições e oficinas sobre métodos e técnicas de pesquisa e tópicos mais complexos de gestão de pessoas no setor público. Entre as linhas de pesquisa do GEPESPE, destaca-se: os processos e práticas de gestão de pessoas no setor público, os modelos estratégicos de gestão de pessoas no setor público e interface de gestão de pessoas com a política organizacional no setor público.

Alexandre Cambraia, professor da EAB/IDP, ressaltou a importância de iniciativas como essa para colocar em voga o IDP como centro de estudos também na área de administração pública. Cambraia coordenará outro grupo que tem como principal objetivo olhar a burocracia e o estado para além da ideia de "ator homogêneo". “Outra linha de pesquisa está ligada ao constrangimento do Estado para poder atuar e implementar programas de política pública. As parcerias que o Estado faz com iniciativas privadas não seria constrangimento para que o desenvolvimento ocorra?”, questiona o professor, que abordará essas e outras questões no grupo de estudos.

Clique aqui para ver mais fotos

A Escola de Direito de Brasília (EDB/IDP) publica nesta segunda-feira (5) o gabarito preliminar da prova do vestibular tradicional do curso de graduação em Direito para o segundo semestre de 2017.

pdf Clique aqui para baixar o gabarito (48 KB)

A ministra da Corte Constitucional Alemã Sibylle Kessal-Wulf e o vice-presidente e ministro do STF Dias Toffoli participaram nesta quarta-feira (31) do Seminário Jurisdição Constitucional e Estado Democrático de Direito, onde debateram sobre as especificidades das constituições do Brasil e da Alemanha, bem como seus desafios e similaridades.

Segundo a ministra, existe uma relação natural de tensão entre política e jurisprudência constitucional. “O direito nunca deve ser adaptado à política, mas a política ao direito. Uma sociedade deve conviver com a existência de interesses múltiplos e conflitantes e influencias políticas. A tarefa do tribunal é zelar para que os grupos políticos não possam institucionalizar decisões a seu bel prazer”, disse.

Kessal-Wulf também levantou alguns questionamentos durante sua exposição: “Qual é o papel que a lei atribui a jurisprudência constitucional? Como podemos encontrar o caminho para uma jurisprudência constitucional prudente? Para mim, a jurisprudência deve agir em igualdade com outros órgãos, além de ter nível de competência e compreensão segura da Constituição. Também temos que garantir a implementação de decisões do tribunal constitucional”.

De acordo com Dias Toffoli, embora o Brasil tenha instituído, no início da República, um sistema de controle difuso de constitucionalidade, sob inegável influência do sistema norte-americano de controle judicial de constitucionalidade das leis, “o país evoluiu paulatinamente no sentido de controle concentrado austríaco”.

Para o ministro do STF, os mecanismos de repercussão geral e súmula vinculante possibilitaram uma maior valorização da jurisprudência do STF, “assegurando uniformidade jurisprudencial e conferindo força e caráter geral a determinados precedentes jurisprudenciais da Suprema Corte do país”.

Veja mais fotos clicando aqui.

Promovido pelo Centro de Pesquisas do Instituto Brasiliense de Direito Público (Cepes/IDP), o III Seminário de Iniciação Científica da EAB/IDP contará neste ano com uma programação extensa, envolvendo torneio de debates, lançamento de linhas de pesquisa e apresentação de trabalho. O encontro acontecerá entre os dias 5 e 8 de junho, no auditório do IDP.

No evento, os alunos serão incentivados a integrarem uma linha de pesquisa e escreverem artigos científicos. A partir dessa nova iniciativa, a EAB/IDP lançará no segundo semestre deste jornal Administração & Pesquisa com textos desenvolvidos pelos alunos.

 

O Centre de Pesquisas do Instituto Brasiliense de Direito Público (Cepes/IDP) promove entre os dias 7 e 9 de junho o IX Seminário de Iniciação Científica da Escola de Direito de Brasília (EDB/IDP). A abertura do evento será realizada pela professora Luciana Silva Garcia, que abordará o tema Pesquisa Empírica no Direito. Os alunos terão um espaço para apresentar trabalhos produzidos em sala de aula e em grupos de estudos e pesquisas, sob a orientação dos professores.

Além de criar um ambiente cultural e promover a socialização entre alunos e professores da instituição, o seminário também incentiva uma cultura institucional de produção científica. Os alunos também participarão do Torneio de Debates, que é voltado para o desenvolvimento da oratória e argumentação. A abertura do torneio acontecerá no dia 6, às 19h.

Veja abaixo a programação completa do seminário:

No dia 5 de junho, o Grupo de Estudos em Direito Público da Infraestrutura realizará uma reunião extraordinária com o professor da Universidade de Brasília Márcio Iorio Aranha. O encontro acontecerá na sala 001, às 20h30.

O grupo, orientado pelo professor Marco Aurélio de Barcelos Silva e coordenado pelo estudante da EDB/IDP Jorge Sotto Mayor Fernandes Neto, é um espaço para discussões sobre o marco regulatório da infraestrutura brasileira, buscando propor soluções aos gargalos jurídicos e aprimoramentos normativos para o desenvolvimento da infraestrutura nacional.

O objetivo final do Grupo de Estudos em Direito Público da Infraestrutura é reunir massa crítica para a elaboração de publicações contendo o diagnóstico e as propostas concretas (entre sugestões de alteração da legislação, cláusulas contratuais e práticas regulatórias) julgadas necessárias para o desenvolvimento da infraestrutura brasileira, sob o enfoque do Direito Público.